Páginas

7 de fevereiro de 2011

Comidas... o que fazer quando tudo ao seu redor parece explodir?

Meu organismo resolveu virar vegetariano.
Digo meu organismo por que é vontade dele, não minha. Eu adoro carne vermelha, a textura, o sabor, o cheiro dela tostando na grelha... Mas meu organismo não.
Ele grita: Coma milho!!! Cultue os Astecas!! Ou então: "Ervilhas pela Paz Mundial!!" e quem sabe ele ainda há de berrar: "Brócolis, te consideramos Método!!" - este foi um momento ocultista de minha pessoa, imaginei o Brócolis presidindo um rito de Iniciação Místico, exigindo o sacrifício de um pacotinho de toicinho defumado... - certo, esqueçam esta parte.
Esta noção acerca de meu corpo me fez refletir sobre os transtornos ocasionados por alimentos em nossas viagens. Quem nunca perdeu um dia inteiro por conta de uma comida que não estava totalmente morta quando foi consumida, e desceu goela abaixo, clamando por justiça? Ou então, pior que isso, a comida que já estava morta a muito tempo, e o aquecedor onde ela se encontrava mais parecia um posto de atendimento do IML, aguardando a família para a liberação do cadáver. E nada da coxinha chegar para liberar o corpo do pobre kibe frito. Então apareceu você, e o dono do estabelecimento decidiu doar o cadáver do kibe para estudos, dentro de seu estômago... Doar nada, aposto como você pagou pelo menos 2 reais por ele, certo?


3 de fevereiro de 2011

Música e viagem... há como não associar?


O assunto hoje é música. O assunto do blog é viagem... É tudo uma coisa só: Amor!
"All we need is love" diziam os Beatles, e é a mais pura verdade.

Viajar ouvindo música, compor em algum lugar mágico, ter sempre na memória uma música que te remete a tal destino, conhecer uma música diferente, apresentada por alguém que você possivelmente nunca mais verá, em um lugar encantador. Essa é a mais poderosa mistura mental que lhe acontece quando viaja.

Tenho comigo algumas músicas que trazem até o "cheiro" dos lugares por onde andei. Existe, é claro, aquela que todo mundo sempre canta, basta eu pronunciar meu nome - amigos, vou cantar novamente mas por favor parem, ok? Ohhhhh Carlaaaaa, eu te ameiiiiii como jamaaaaisss um ouuutrooo alguueemmm vai te amaaar - eu agradeço o empenho e afinação mas devo declarar que, as que me recordo verdadeiramente, vem carregadas de imagens fantásticas que nunca esquecerei. Essa, eu só lembrei agora por que o momento exigiu, ficou claro?!


1 de fevereiro de 2011

Desfazendo a Mala





















Engraçado o nosso blog de viagens ter este nome...
Sinceramente eu detesto desfazer as malas, elas costumam passar uma semana aqui no tapete do quarto, me olhando desconfiadas, mas imóveis, não querem ser desfeitas de jeito nenhum. Tenho uma azul em especial que vai me morder dia desses, juro, ela detesta ser desfeita... Gosta mesmo é de estar no bagageiro.

Usemos então este espaço como terapia de grupo: Olá, meu nome é Carla, consegui desfazer minha mala ontem. Mas já corri para cá postar o que eu queria que todos soubessem. Acho que assim fica mais fácil não? Se você pensar que tem para quem contar o que aquela mala viveu do seu lado, vai conseguir desfazê-la mais facilmente... Pensa assim comigo, acho que dará certo.