Páginas

3 de outubro de 2012

BURNING MAN FESTIVAL - Espiritualidade e Festa no meio do Deserto

Saudações nobres transeuntes! Como tem passado?

Hoje trago informações e imagens lindíssimas de um evento no mínimo - por assim dizer - curioso: BURNING MAN FESTIVAL, em Black Rock City (que não é uma cidade e sim um "destino mutante") no deserto de Black Rock, Nevada, Estados Unidos. Já lembro aqui mesmo no primeiro parágrafo para que cliquem em qualquer uma das fotos deste post e as vejam ampliadas, porque são ricas demais em detalhes. Vamos lá?




Quando citei no título Espiritualidade e Festa, tentei unificar de uma maneira quase  simplista  o que este evento representaria para todos os que o seguem religiosamente desde 1986, e peço desculpas a eles por ter que tentar explicar. É muita informação mesclada com sentimentos e impressões visuais, é difícil tentar passar em um único texto o que seria o evento, mas prometo tentar bravamente :))



O nome do Festival remete aos antigos ritos pagãos que povos Celtas, Egípcios e Nórdicos dividiam: As fogueiras do Solstício de Verão, o Beltane, quando uma figura representando um homem imenso era queimada, levando consigo todas as dores, ofensas e maldades que as pessoas pudessem ter cometido durante o rigoroso inverno, e após sua queima, elas celebravam o Sol e o calor que retornava ás suas terras. O retorno da vida e da felicidade. 





O Burning Man Festival começou como uma brincadeira ou talvez um resquício de "experiência filosófica hippie" de seus criadores Larry Harvey e Jerry James, em Baker Beach, uma das praias de San Francisco,em 1986. Se pensarmos que nesta época e nesta cidade a influência do movimento Hippie foi incrivelmente marcante e que uma das bases religiosas deste movimento era justamente o retorno as origens pagãs humanas e liberdade de credos teremos a resposta de como surgiu o festival.



De lá para cá muita coisa aconteceu. O que começou como uma reunião de poucos amigos - cerca de 30 apenas - em uma praia um tanto deserta e que culminava com a queima de um boneco de madeira de cerca de 2 metros de altura, se transformou em um dos maiores eventos de celebração a vida e arte da atualidade. Desde 1990 acontecendo no Deserto de Black Rock, hoje limitado a 64.000 participantes por edição, com um "Homem" de mais de 12 metros de altura a ser queimado e com licenças para estas queimas. 

São construídas outras estruturas além do Homem, que servem de abrigo as atividades paralelas, sombra para os participantes e que são queimadas  ao longo do evento. Estruturas começam a queimar a partir da quarta feira. O Homem queima no Sábado e o Templo queima no Domingo. Há quem diga que a queima do Templo é a parte mais significativa e emocionante de todo o evento. 



Uma das mais importantes estruturas construídas para o Festival, além do Homem, é justamente o Templo, a área espiritual do Burning Man. A sua riqueza de detalhes de  construção tem me impressionado ano após ano. É quase como a idéia das lamparinas de papel de seda no Tibet, que são delicadamente feitas para serem queimadas em segundos. O Templo tem esta mesma função: Ele é construído mais detalhadamente a cada ano, sempre dias antes do evento, se amplia durante a chegada dos participantes, se enche, e depois é queimado representando a força e rapidez da morte, da transição (fogo) versus a delicadeza e demora da construção (nossa vida nesta encarnação) 







Vale lembrar que por mais que tudo seja lindo e repleto de um espírito de paz, harmonia e renovação, o evento ocorre no meio de um deserto com umidade relativa abaixo de 12% ou seja, sem seguir atentamente as instruções do "Survival Guide" e principalmente dos frequentadores mais antigos, você pode morrer nesta "brincadeira". É um dos lugares mais inóspitos do planeta e este é o motivo do evento durar apenas uma semana pois mais que isso pode ocasionar sérias consequências aos participantes.

Enfrentar o deserto por 01 semana, tempo que dura o Festival, é também uma prova de superação de seus próprios limites. Dividir a sombra, dividir a água, a comida, alertar as pessoas de que precisam se proteger do sol, da areia - ocorrem pequenas tempestades - e viver em comunidade em um ambiente hostil, esperando por um momento festivo como para várias pessoas é o Réveillon, já se tornou tradição na vida dos frequentadores do Burning Man.



Sobre o evento deste ano, que durou de 27 de agosto a 03 de setembro, não tenho fontes sobre espaços para a compra de alimentos e bebidas mas, nas outras edições, segundo o amigo, fotógrafo e fiel participante do Festival Sidney Erthal (na foto abaixo) era parte do "todo" levar sua comida, sua água, cuidar para proteger-se do frio a noite pois a temperatura cai severamente no deserto, e sempre partilhar: Histórias, roupas, comidas, bebidas, músicas, origens. 



Uma "regra" entre os participantes refere-se justamente a postura de todos dentro do Festival: Cuidar de seu lixo, não levar utensílios de vidro, cuidar de sua água, seu alimento, não usar nas fantasias itens que não sejam biodegradáveis, como por exemplo os famosos poás de penas falsas, que são feitos a base de derivados de petróleo, respeitar as imposições do deserto principalmente, não tentar fazer frente a ele pois ele pode mais, sempre.

Sobre as fantasias: As pessoas no Burning Man são sempre convidadas a fazerem parte do evento, a integrarem-se a ele e portanto a grande maioria mantém-se fantasiada pela maior parte do tempo. Sua fantasia de preferência deverá fazer menção sentimentos que você deseje transmutar na "Queima" do Homem ou simplesmente deve fazer com que se sinta mais próximo de algo que queira tornar-se. 
São comuns as fantasias indígenas ou xamanistas, pois estamos falando de um rito com origens pagãs e mesmo que a maioria das pessoas ali dentro não faça ideia do que era um Beltane, a energia do lugar se encarrega de fazê-los entender. As fantasias que remetem aos contos de Julio Verne, a universos tecnológicos avançadíssimos a base de força a vapor - Steampunk - também são muito usadas.






Outras regras fazem menção aos veículos: Somente podem trafegar veículos "mutantes", digamos que são carros também fantasiados, como carros alegóricos, e a velocidade máxima de 08 km por hora. As bicicletas são lei. A área do Lago seco onde o evento é centralizado é enorme, as bicicletas acabam sendo o meio perfeito de locomoção sem prejuízo ao ambiente. 
Há coleta de resíduos de alumínio por pessoas a parte da organização, que doam os valores arrecadados com a reciclagem deste material para as tribos indígenas locais. O Festival traz muitos benefícios financeiros para as populações ao redor de Black Rock City e existem várias comunidades indígenas no deserto,  que acabam se beneficiando demais com a renda gerada tanto pela reciclagem de resíduos quanto pelas compras locais dos participantes do evento. Toda sua comida e sua água deverão ser trazidas de fora portanto o comércio da região fatura alto, por vezes mais que durante o ano todo, no período do Burning Man.

A fiscalização sobre sua postura quanto ao seu lixo é grande e você é totalmente responsável por ele ou seja, no seu carro deverá haver espaço na volta também para seu lixo, ele voltará com você. 
Além disso, o "Survival Guide", o Guia de Sobrevivência que você receberá junto com seu ingresso, logo quando o comprar, ainda frisa que você deverá passar mais uma hora depois de desmontado seu acampamento, procurando por qualquer rastro ou resíduo que tenha passado por sua primeira coleta, escapado dela. Portanto a aérea toda deverá ser deixada após o evento o mais próximo de como foi encontrada. 

Como turismóloga sei que isso é praticamente impossível. Coloque um homem no meio do mato ou no meio do deserto e você terá causado impacto ambiental mas, se nossa espécie se espalhou desta forma pelo globo, ao menos tentarmos causar o mínimo estrago possível por quilômetro quadrado já ajuda bastante.








Dentro do Festival ocorrem dezenas de eventos paralelos voltados a espiritualidade, outros a festas, concursos de fantasias, concursos para os carros e o auge de tudo que é a noite do Sábado - neste ano o dia 01 de setembro - quando o Homem é queimado em meio a uma grande festa. 

Eu diria que visualmente, é como se uníssemos o universo de "Mad Max" - mas sem a violência  toda -  aos universos "Steampunk" do RPG - onde as máquinas são movidas a vapor e as pessoas vestem-se com trajes vitorianos, Júlio Verne é deus - aos antigos ritos de Beltane dos ancestrais... Não sei de vocês, mas a cada ano quando começo ver nas atualizações de redes sociais de algumas pessoas ao redor do mundo algo como  "100 days for the Burn" eu já fico pensando na loucura e na maravilha de ver tudo isso de perto. Agora vocês também já sabem, se virem este termo em algum Facebook da vida,  que aquela pessoa está se preparando para um dos eventos mais especiais da nossa época.





Sobre a parte de Turismo, a partida obrigatória para o deserto se dá através de São Francisco portanto, é interessante montar um roteiro com passagem aérea ida e volta do Brasil a San Francisco + algumas noites na cidade para aproveitar e conhecê-la, pois é uma das mais bonitas do mundo, e de lá partir com alguma das várias excursões que vão para o Deserto no período do Burning Man. E é claro que vocês podem comprar isso comigo :)))  

Como o próximo festival irá ocorrer apenas em Agosto do ano que vem, dentro dos próximos meses já terei as tarifas de aéreo atualizadas e poderei montar os pacotes completos, incluindo o apoio local para a ida ao evento. Aguardem pelas novidades mas é claro, não deixem de passear pelo meu site como sei que já andam fazendo ( quanto mais melhor!! ahaahah )



Quero agradecer aqui ao amigo Sidney Erthal, que divide suas experiências sobre o Burning Man comigo a anos - e também a anos tenta me arrastar para lá em Agosto e eu vou, pode deixar!! -  que  cedeu gentilmente todas as belíssimas fotos que estão neste post. O Sid formou-se em Turismo junto comigo, e desde 2003 mora na região de San Francisco, tornou-se um fotógrafo brilhante na Califórnia, além de ser a única pessoa que eu conheço que compra pão na mesma padoca que o Santana ahahahaah... Vidinha mais ou menos viu? Vejam o trabalho dele no site Sidney Erthal . Ali vocês verão também as fotos de todos os outros anos em que ele esteve presente no Burning Man Festival.




No mais, espero que tenham gostado :)
Grande abraço a todos, fiquem em paz e nos falamos em breve!


7 comentários:

  1. ... And the man burns in 332 days... (Estarei la novamente!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sou amiga do Sidney e a Ane (irma dele) e estava no grupo com eles, foi simplesmente perfeito! Grupo maravilhoso e perfeito para o burning man!!! And let the man burn ....

      Excluir
    2. Show! Se tudo der certo, no ano que vem então nos veremos em Black Rock City! Abraços!

      Excluir
  2. Olá Carla. Gostaria muito de ir ao burnning man 2015. Haverá excursão este ano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi Livia! Tudo bem? Dê uma olhadinha neste site. Aqui você verá várias informações da organização com dicas para a chegada até Black Rock City. Você fará sua passagem aérea desde o Brasil até Sào Francisco ou Los Angeles, mas converse com a organização do evento antes de comprar qualquer coisa para saber de onde partirão as caravanas para o deserto. Espero que aproveite muito! THE MAN BURNS IN 96 DAYS!! http://burningman.org/event/

      Excluir